Pular para o conteúdo principal

O menino que levou energia para sua família

Todo mundo já deve ter ouvido falar dessa história: o jovem malauiano Willian Kamkwamba, tinha 14 anos quando decidiu ajudar sua família em Kasungo, Malawi. Eles não tinham acesso a eletricidade, então Willian aproveitou o vento e construiu um moinho gerador de energia, que hoje possibilita sua casa a ter 4 lâmpadas e dois rádios.
Ele teve a idéia depois de ter folheado e lido o livro "Using Energy" (Usando Energia), no qual se dava algumas poucas instruções; mas claro, Willian não se prendeu a ele: primeiro porque era impossível copiar exatamente o que estava no livro, ele não tinha meios pra isso. Então, o jovem usou peças que encontrava na sucata ou na rua; e segundo, ele adaptou o moinho de vento as suas próprias necessidades e o que funcionava melhor ao longo de inúmeras tentativas.




A história foi alcançada por um jornal local e claro, se espalhou rapidamente, fazendo Willian ser convidado para dar várias palestras, entre elas as TED (como pode ser visto no vídeo abaixo), já com 19 anos. Lá ele contou sua história e disse um sonho: construir outro moinho, porém maior, pra ajudar na irrigação de toda a sua comunidade que sofre com a seca dos campos.
Na platéia, ninguém duvidou que ele conseguisse: "é incrível a simplicidade com que ele diz: Eu tentei, eu fiz".
Um belo exemplo de determinação a todos nós.


O reconhecimento do esforço do jovem, levou a TED a se mobilizar e ajudar a melhorar o sistema de energia (através da incorporação da energia solar) e para lhe proporcionar uma melhor educação. Houve ainda projetos de limpeza de água (bombeada pelo moinho de vento de Willian, que foi melhorado), prevenção da malária, iluminação... E ele teve a oportunidade de estudar na African Leadership Academy.



FONTE: Hypeness 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Renova - A Boutique do Papel Higiênico.

  A marca européia   Renova fabrica lenços, guardanapos, papel toalha e papel higiênico coloridos. Sim! Há 6 opções de cores: verde, azul, vermelho, laranja, preto e rosa. As ativações da marca são muito legais: venda dos papéis coloridos em vending machines, pointsWC boutiques, exposições/displays em locais como o Museu do Louvre em Paris, aeroporto em Lisboa, shopping na Dinamarca. Nada como um banheiro cool, né? Se em algum supermercado vocês enxergarem alguém levando todas as cores, já sabem: sou eu.               Fonte: Follow The Colours

Karl Lagerfeld e Faber-Castell se juntam e lançam estojo “Karlbox”

Karl Lagerfeld é o todo poderoso (e conhecido) Designer Chefe e Diretor Criativo da grife Chanel. E uma das ferramentas que mais usa são lápis de cor e canetas para esboçar as peças de moda que fluem na sua mente criativa. E nada mais justo que ele em parceria com a Faber-Castell lançarem uma linha completa de produtos artísticos. A Karlbox é um luxuoso e elegante estojo preto com edição limitada contendo 350 instrumentos artísticos de qualidade para desenho e pintura, desenhado por Karl Lagerfeld. Produzida com habilidade exemplar, a sua estrutura de madeira se assemelha a um armário chinês: dentro, gavetas armazenam os materiais artísticos, ordenados por tonalidades de cor, todos selecionados pessoalmente por Karl, e simbolizam a sinergia entre moda, arte e design. As gavetas individuais são removíveis, para serem organizadas durante o desenvolvimento do trabalho criativo. O estojo é exclusivo, contendo um número de série e um certificado de autenticidade, tornando-o completamente o

Uma animação para entender o conflito entre Israel e a Palestina

Um vídeo irônico, satírico e inteligente feito pela cartunista norte americana  Nina Paley  mostra, de forma desenhada, o conflito histórico pelo domínio da região conhecida como Terra Santa. A animação “ This Land is Mine ” (“A Terra é Minha”) ilustra a matança dos povos habitantes daquela região, com a trilha sonora de Andy Williams criada por Ernest Gold e Pat Boone. “ This Land is Mine é uma paródia de The Exodus Song. Esta música era uma espécie de trilha sonora do sionismo americano na década de 1960 e 70. Era para expressar o direito judaico para Israel. Ao colocar a música na boca de todos os partidos em guerra, eu estou criticando a canção original ”, explica Nina Paley Respeitando a cronologia dos fatos, o vídeo retrata todas as guerras em torno da Terra Santa – nome bíblico que compreende o território de Israel, Cisjordânia e parte da Jordânia, que teria sido prometida ao povo judeu no Antigo Testamento. Entenda os personagens: Homem primitivo :  este