Pular para o conteúdo principal

O logotipo da Coca-Cola vai mudar

Coca-Cola lança desafio para redesign de logotipo

 

Com a plataforma de design BlankYou Very Much, marca irá premiar com US$ 5 mil quem criar um logo para ilustrar uma edição limitada de camisetas

Os logotipos deverão ser enviados para o site da BYVM até 29 de outubro, para depois passarem por votação popular



São Paulo - É isso aí que você leu no título. A Coca-Cola, em parceria com a plataforma de design BlankYou Very Much, lançou um desafio ter seu clássico logotipo redesenhado. Antes que você se empolgue, entretanto, um balde de água fria: de acordo com o regulamento, a competição é aberta somente a residentes nos Estados Unidos. Ainda assim, não deixa de ser uma boa ideia.
O prêmio é de US$ 5 mil – parece pouco, mas ainda assim é US$ 5 mil a mais do que levou Frank Mason Robinson para criar o logotipo original em 1885. O ganhador também terá o direito de sair se gabando por aí, ter isso no portfólio, etc. Mas não é só isso, claro… O novo logo vai ilustrar uma edição limitada de camisetas.
Os logotipos deverão ser enviados para o site da BYVM até 29 de outubro, para depois passarem por votação popular entre 30 de outubro e 12 de novembro. Daí os mais votados passarão pelo crivo de um júri especializado, que anunciará o vencedor em 23 de novembro.
Se até agora pareceu tudo muito fácil – ou quase -, é preciso ler as orientações da Coca-Cola, que foi muito específica sobre o que pode ou não ser feito aqui. Somente as cores branco e vermelho são permitidas – azul, nem pensar. Bandeiras ou símbolos internacionais são proibidos, o logo deve refletir um modo de vida saudável e equilibrado e o público-alvo é acima de 12 anos.
Se você ficou curioso para saber mais, entre no site da BYVM para descobrir mais sobre a competição. Aproveite a visita para conhecer melhor esse site, que dá aos designers a oportunidade de repensar logotipos famosos e criar novos conceitos.


Fonte: EXAME

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Renova - A Boutique do Papel Higiênico.

  A marca européia   Renova fabrica lenços, guardanapos, papel toalha e papel higiênico coloridos. Sim! Há 6 opções de cores: verde, azul, vermelho, laranja, preto e rosa. As ativações da marca são muito legais: venda dos papéis coloridos em vending machines, pointsWC boutiques, exposições/displays em locais como o Museu do Louvre em Paris, aeroporto em Lisboa, shopping na Dinamarca. Nada como um banheiro cool, né? Se em algum supermercado vocês enxergarem alguém levando todas as cores, já sabem: sou eu.               Fonte: Follow The Colours

Karl Lagerfeld e Faber-Castell se juntam e lançam estojo “Karlbox”

Karl Lagerfeld é o todo poderoso (e conhecido) Designer Chefe e Diretor Criativo da grife Chanel. E uma das ferramentas que mais usa são lápis de cor e canetas para esboçar as peças de moda que fluem na sua mente criativa. E nada mais justo que ele em parceria com a Faber-Castell lançarem uma linha completa de produtos artísticos. A Karlbox é um luxuoso e elegante estojo preto com edição limitada contendo 350 instrumentos artísticos de qualidade para desenho e pintura, desenhado por Karl Lagerfeld. Produzida com habilidade exemplar, a sua estrutura de madeira se assemelha a um armário chinês: dentro, gavetas armazenam os materiais artísticos, ordenados por tonalidades de cor, todos selecionados pessoalmente por Karl, e simbolizam a sinergia entre moda, arte e design. As gavetas individuais são removíveis, para serem organizadas durante o desenvolvimento do trabalho criativo. O estojo é exclusivo, contendo um número de série e um certificado de autenticidade, tornando-o completamente o

Uma animação para entender o conflito entre Israel e a Palestina

Um vídeo irônico, satírico e inteligente feito pela cartunista norte americana  Nina Paley  mostra, de forma desenhada, o conflito histórico pelo domínio da região conhecida como Terra Santa. A animação “ This Land is Mine ” (“A Terra é Minha”) ilustra a matança dos povos habitantes daquela região, com a trilha sonora de Andy Williams criada por Ernest Gold e Pat Boone. “ This Land is Mine é uma paródia de The Exodus Song. Esta música era uma espécie de trilha sonora do sionismo americano na década de 1960 e 70. Era para expressar o direito judaico para Israel. Ao colocar a música na boca de todos os partidos em guerra, eu estou criticando a canção original ”, explica Nina Paley Respeitando a cronologia dos fatos, o vídeo retrata todas as guerras em torno da Terra Santa – nome bíblico que compreende o território de Israel, Cisjordânia e parte da Jordânia, que teria sido prometida ao povo judeu no Antigo Testamento. Entenda os personagens: Homem primitivo :  este