Pular para o conteúdo principal

Coca-Cola em 'Quanto mais zero, melhor'

Coca-Cola Zero estreia a campanha “Quanto mais zero, melhor”, explorando a mensagem de que a marca torna possíveis as experiências mais incríveis. O Brasil foi protagonista da comunicação, que tem como destaques ações em TV e internet, sendo veiculada em toda a América Latina. A ideia criativa e o filme para o continente são de autoria da Ogilvy Brasil. A adaptação da campanha para o Brasil é da JWT. Já a plataforma digital foi desenvolvida pela Gringo.

A veiculação do filme “Mecânico” marca a estreia da campanha. No vídeo, um jovem tem a viagem interrompida pelo carro enguiçado. À beira da estrada, ele é surpreendido com experiências improváveis a cada gole de sua Coca-Cola Zero. Ao primeiro, uma caminhonete-guincho encosta para socorrê-lo. Ao segundo, algo mais improvável: uma linda garota desce da caminhonete com uma caixa de ferramentas para ajuda-lo a consertar o carro. Incrédulo, ele bebe mais um pouco da sua Coca-Cola Zero e tem nova surpresa, ao ver outra bela garota desce do caminhão, com mais garrafas do refrigerante. No desfecho, a assinatura: “Todas as possibilidades”.

Na internet, o site de Coca-Cola Zero (www.cocacolazero.com.br) e a tab da marca no MSN vão apresentar conteúdos relacionados ao filme, como wallpapers, emoticons, papéis de parede e ringtones, além de exibirem o vídeo. As ações digitais foram desenvolvidas pela agência Gringo.

"A nova campanha reflete o posicionamento jovem e arrojado de Coca-Cola Zero, de tornar possíveis experiências improváveis. O enredo do filme transmite essa mensagem de forma bastante direta e inusitada”, declara Luciana Feres, diretora de marketing de trademark Coca-Cola.

Comentários

  1. Qual o nome dessa musica que passa ai? naa propagada? alguéem sabe me dizer por favor

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Renova - A Boutique do Papel Higiênico.

  A marca européia   Renova fabrica lenços, guardanapos, papel toalha e papel higiênico coloridos. Sim! Há 6 opções de cores: verde, azul, vermelho, laranja, preto e rosa. As ativações da marca são muito legais: venda dos papéis coloridos em vending machines, pointsWC boutiques, exposições/displays em locais como o Museu do Louvre em Paris, aeroporto em Lisboa, shopping na Dinamarca. Nada como um banheiro cool, né? Se em algum supermercado vocês enxergarem alguém levando todas as cores, já sabem: sou eu.               Fonte: Follow The Colours

Karl Lagerfeld e Faber-Castell se juntam e lançam estojo “Karlbox”

Karl Lagerfeld é o todo poderoso (e conhecido) Designer Chefe e Diretor Criativo da grife Chanel. E uma das ferramentas que mais usa são lápis de cor e canetas para esboçar as peças de moda que fluem na sua mente criativa. E nada mais justo que ele em parceria com a Faber-Castell lançarem uma linha completa de produtos artísticos. A Karlbox é um luxuoso e elegante estojo preto com edição limitada contendo 350 instrumentos artísticos de qualidade para desenho e pintura, desenhado por Karl Lagerfeld. Produzida com habilidade exemplar, a sua estrutura de madeira se assemelha a um armário chinês: dentro, gavetas armazenam os materiais artísticos, ordenados por tonalidades de cor, todos selecionados pessoalmente por Karl, e simbolizam a sinergia entre moda, arte e design. As gavetas individuais são removíveis, para serem organizadas durante o desenvolvimento do trabalho criativo. O estojo é exclusivo, contendo um número de série e um certificado de autenticidade, tornando-o completamente o

Uma animação para entender o conflito entre Israel e a Palestina

Um vídeo irônico, satírico e inteligente feito pela cartunista norte americana  Nina Paley  mostra, de forma desenhada, o conflito histórico pelo domínio da região conhecida como Terra Santa. A animação “ This Land is Mine ” (“A Terra é Minha”) ilustra a matança dos povos habitantes daquela região, com a trilha sonora de Andy Williams criada por Ernest Gold e Pat Boone. “ This Land is Mine é uma paródia de The Exodus Song. Esta música era uma espécie de trilha sonora do sionismo americano na década de 1960 e 70. Era para expressar o direito judaico para Israel. Ao colocar a música na boca de todos os partidos em guerra, eu estou criticando a canção original ”, explica Nina Paley Respeitando a cronologia dos fatos, o vídeo retrata todas as guerras em torno da Terra Santa – nome bíblico que compreende o território de Israel, Cisjordânia e parte da Jordânia, que teria sido prometida ao povo judeu no Antigo Testamento. Entenda os personagens: Homem primitivo :  este